Marketing Digital: Objectivos e Ferramentas

Objectivos do Marketing Digital:

  • Criar notoriedade;
  • Estabelecer posicionamento;
  • Criar afinidade com a marca;
  • Explicar produtos;
  • Gerar leads;
  • Gerar vendas;
  • Obter informação dos consumidores;
  • Resolver questões de apoio ao consumidor.

Ferramentas do Marketing Digital:

        Muitas são as ferramentas disponíveis para as empresas comunicarem as suas marcas através da Intermet. De entre uma numerosa e diversificada panóplia de ferramentas utilizadas no Marketing Digital destacam-se as seguintes: Banners (Display), Sites e Micro-sites, Adwords, SEO e Social Media.

Banners (Display)

        Os Display podem adoptar 3 formatos: Interstitial, Rich Media e Mix Toal. No entanto também, podem ter ou não animação. Display Interstitial caracterizam-se por ser os banners que interagem com outros conteúdos das páginas onde se encontram alojados. Os Display Rich Media caracterizam-se por ter um impacto mais elevado, pois utilizam animação, sons e imagens na sua composição. Por último, Display Mix Total, como o nome indica é um misto dos dois tipos supracitados. No entanto, apesar de ser o tipo de display que causa um maior impacto é também o que causa maior desconforto, pois é o mais intrusivo, podendo em alguns casos originar uma ARM desfavorável (Ryan, Calvin, 2009).

        Em termos de objectivos de comunicação, estes são recomendados quando se pretende gerar tráfego para um site, notoriedade e construção de marca. (Ryan, Calvin, 2009).

Exemplos:

Display Rich Media – Controlo Parental

http://www.koreus.com/video/blonde-strip-tease.html

Display Interstitial – Party

http://www.partyacrosstheinternet.com/ralph.html

Sites

Estes podem ser mais funcionais ou mais criativos, mais complexos ou mais simples. Tudo depende do objectivo do mesmo e da marca que comunica. Assim, tem de existir uma ponderação entre a usabilidade e a criatividade.

 Exemplo:

Fonte: http://www.thefirstworldwidewebsitewerenothinghappens.com/ -Excelente exemplo de um site em que impera a criatividade, enfatizando o slogan da marca KIT KAT “Have a break” – este é o primeiro site onde nada acontece.

Os sites devem também obedecer a um conjunto de regras como:

  • Rapidez de acesso;
  • Compatibilidade de Browsers;
  • Design Condizente com a respectiva marca;
  •  Informação Precisa (ergonomia de informação e de navegação – manter os hábitos de navegação, por exemplo: clicar no logótipo leva-me à homepage);
  • Acessibilidade (o site deve estar acessível a pessoa com alguma deficiência);
  • Interactividade;
  • Autonomia (deve ser passível de ser actualizado facilmente);
  • Estatísticas (dever dar origem a relatórios de navegação, visitas, áreas mais clicadas/visitadas – monitorização). (Krug, 2006)

Em resumo, os sites são indicados quando se pretende notoriedade, construção de marca, angariação de contactos, vendas, engagement e ser o cartão-de-visita de uma marca. (Ryan, Calvin, 2009).

Adwords

        Caracterizam-se por ser os resultados pagos que aparecem no Google. Esta ferramenta é extremamente importante, pois requer poucos custos para as vantagens que traz às marcas. Por exemplo se pretender levar pessoas ao site publicitado esta será a melhor ferramenta. Com esta ferramenta consegue-se alguma diferenciação e destaque na mente dos consumidores na imensidão de resultados que o Google apresenta ao consumidor.

SEO

         SEO caracteriza-se por ser a optimização dos motores de busca, isto é, é uma ferramenta que tem por objectivo tornar o mais relevante possível, uma determinada marca nos motores de busca, como por exemplo o Google. Assim, através de várias técnicas que vão desde o link building (referencias do site noutros sites) à utilização sistemática no próprio site de palavras-chave que pretendemos que estejam associadas à marca comunicada nos motores de busca. Este ferramenta torna-se importante, na medida em que permite que determinado site consiga subir no “Page Rank” do Google. Uma vez que os consumidores apenas dão atenção às primeiras páginas de resultado e tendem a atribuir maior qualidade e credibilidade aos primeiros resultados do Google. Logo, esta ferramenta é extremamente importante para as empresas.

Social Media

         Social Media é um termo que descreve o acto de utilizar redes sociais (social networks), comunidades on-line (online communities), blogs, wikis, etc; com o objectivo de marketing, vendas, relações públicas e serviço ao consumidor. Pela adesão massiva dos consumidores a este tipo de plataformas, torna-se vital para as marcas a sua presença também neste tipo de ferramentas de comunicação. Apenas desta forma, conseguirão conhecer verdadeiramente os comportamentos dos consumidores, descortinarem oportunidades de negócio e novas necessidades que advêm da utilização das redes sociais.

A utilização destas redes sociais conduz naturalmente a um efeito viral. A mensagem é reproduzida não só através de anúncios, mas também através do contacto entre utilizadores, através de vídeos, tweets, etc. Como tal, é necessária a existência de profissionais com conhecimentos nesta área do social networking, os denomiados Community Manager.

        Outro dado importante é por exemplo a possibilidade das marcas criarem fan pages, nomeadamente o Facebook. Assim, as marcas conseguem criar notoriedade, market research, desenvolvimento de novos produto, relações públicas, CRM e actividades promocionais, entre outros. Por último, as redes sociais permitem a utilização da criatividade e interactividade de forma mais vincada, fugindo aos suportes clássicos de comunicação, pois estes já não terão o mesmo impacto nestes novos consumidores da era digital que outrora tiveram.

Por útlimo, deixo alguns videos do youtube que transmitem muito bem o que é o Marketing Digital e quais as suas potencialidades e oportunidades.

Exemplo 1 –  Market America Partner Stores

Exemplo 2 – A essência do Marketing Digital

Exemplo 3 – Mundo do marketing e as redes sociais – Internet 3.0

Referências Bibliográficas:

Ryan, D.; Calvin, J. [2009] Understanding Digital Marketing: Marketing Strategies for Engaging the Digital Generation. pp. 276.

Krug, S. [2006] Don’t Make Me Think!: A Common Sense Approach to Web Usability, pp. 200.

Hortinha, J. [2002] X Marketing. Edições Sílabo, Lisboa. pp.347


 


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: